TASCHEN, ASSOULINE E RIZZOLI

TASCHEN, ASSOULINE E RIZZOLI
Conheça as mais icônicas editoras de livros de arte do mundo

 

 

Taschen, Assouline e Rizzoli. O que elas têm em comum? Além do melhor catálogo de livros de artes, moda e décor, desses para ler, sonhar e embelezar coffee tables, as três fazem parte da categoria Lifestyle do Iguatemi 365

 

 

Para quem ainda não conhece a trajetória delas, a gente explica – ou relembra. Criada em 1980, a Taschen começou sua trajetória literária com quadrinhos, até que por uma sacada comercial de Benedikt Taschen migrou para arte. Em 84, Taschen comprou 40 mil cópias restantes de um livro de René Magritte com texto em inglês e os revendeu por uma quantia bem menor do que o preço original. O sucesso disparou o alarme: existia demanda por um mercado de livros de arte vendidos a preços mais acessíveis. Pablo Picasso, Salvador Dalí e pilares da fotografia de moda, como Helmut Newton, entraram para o catálogo que chega hoje a mais de 100 títulos em 30 idiomas.

 

1

 

Beleza impressa

Por falar em moda, essa é uma área na qual a Assouline brilha. Desde 1995, quando foi fundada, a editora publica livros com imagens e design impecáveis sobre marcas e produtos de luxo: Chanel, Yves Saint Laurent e Dior, entre elas. O lema? “Culture is the finest accessory”.

 

E a Rizzoli, claro, não fica atrás; pelo contrário. Mais “experiente” das três, ela nasceu como livraria em 1964, na Quinta Avenida, e começou suas operações editoriais em 74, virando líder nos campos da moda, design de interiores, culinária, arte, arquitetura e fotografia. “Rizzoli publicou alguns dos livros ilustrados mais bonitos do mundo”, declarou o New York Times. Ninguém duvida.

2